Estrutura etária e crescimento econômico: evidências no Rio Grande do Sul/Brasil (1991-2010)
PDF (Português (Brasil))
XML (Português (Brasil))

Archivos suplementarios

Sin título (Português (Brasil))
Sin título (Português (Brasil))
Sin título (Português (Brasil))
Sin título (Português (Brasil))

Cómo citar

Rossetto Lazaretti, L., & Marion Filho, P. J. (2018). Estrutura etária e crescimento econômico: evidências no Rio Grande do Sul/Brasil (1991-2010). Economía Sociedad Y Territorio, (58). https://doi.org/10.22136/est20181225

Resumen

O objetivo da pesquisa é analisar a relação entre a mudança na estrutura etária e o crescimento econômico no Rio Grande do Sul, a partir dos Censos Demo- gráfcos de 1991, 2000 e 2010. Utilizam-se modelos econométricos espaciais. As variáveis demográfcas foram signifcativas para a convergência da renda per capita. O aumento da densidade demográfca e a qualidade de vida da população contribuem para o crescimento econômico. O aumento absoluto da população diminui a renda per capita, enquanto a faixa etária de pessoas com idade entre 35 e 45 anos são as que mais contribuem para o aumento da renda. 

https://doi.org/10.22136/est20181225
PDF (Português (Brasil))
XML (Português (Brasil))

Citas

Almeida, Eduardo Simões, Fernando Perobelli Salgueiro e Pedro Gui- lherme Ferreira Costa (2008), “Existe convergência espacial da produtividade agrícola no Brasil?”, Revista de Economia e Socio- logia Rural, 46 (1), Libri Laboris, Rio de Janeiro Brasil, p.22.

Almeida, Eduardo (2012), Econometria Espacial Aplicada, 1. Ed., Editora Alínea, Campinas, Brasil.

Anselin, Luc (2005), Exploring Spatial Data with GeoDa: a Workbook, University of Illinois, Urbana-Champaign-Ed. Copyright, Chi- cago, Estados Unidos da América.

Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil (2017), “O Atlas”, Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil, Rio de Janeiro, Brasil, <http://www.atlasbrasil.org.br/2013/pt/o_atlas/idhm/>, 16 do abril do 2017.

Barro, Robert (2007), “Economic Growth in a Cross Section of Coun- tries”, Quarterly Journal of Economics, 106 (2), Te MIT Press, Cambridge, Inglaterra, pp. 407-444.

Barro, Robert (1996), Determinants of Economic Growth: A Cross-Country Empirical Study, MIT: Press, Cambridge, Inglaterra.

Bloom, David, David Canning, Gunther Fink e Jocelyn Finlay (2009), “Fertility, female labor force participation, and the demographic dividend. Journal of Economic Growth”, Springer Science Business Media, 14 (2), Harvard University, Boston, Estados Unidos da América, pp. 79-101.

Bloom, David, David Canning e Jaypee Sevilla (2001), Economic Growth and the demographic transition, National Bureau of Economic Research, Cambridge, Inglaterra.

Brito, Fausto (2008), “Transição demográfca e desigualdades sociais no Brasil”, Revista Brasileira de Estudos da População, 25 (1), Associação Brasileira de Estudos Populacionais, São Paulo, Brasil, pp. 5-26.

Brito, Fausto (2007), “A transição demográfca no contexto internacional”, texto para discussão núm. 317, Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional da Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais, Brasil.

Carvalho, Alexandre Xavier Ywata e Pedro Henrique Albuquerque Melo (2010), “Tópicos em econometria espacial para dados cross-sec- tion”, num. 1508, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, Brasília, Brasil.

Cruz, Marcio e Amer Ahmed (2018), “On the impact of demographic change on economic growth and poverty”, World Development, 105, Elsevier, Amsterdam, Holanda, pp. 95-109.

Feyrer, James (2007), “Demographics and Productivity. Dartmouth College Working Paper”, Review of Economics and Statistics, 89 (1), Dartmouth College, Hanover, Estados Unidos da América, pp. 100-109.

FMI (Fundo Monetário Internacional) (2016), “Data”, FMI, Santa Ma- ria, Brasil, <http://www.imf.org/external/index.htm>, 12 do novembro do 2016.

Galor, Oded (2011), Teoria do crescimento unifcado, Princeton University Press, Princeton, Estados Unidos da América.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografa e Estatística) (2017), “PIMPF- Produção física industrial por seções e atividades industriais”, IBGE, Rio de Janeiro, Brasil, <http://www.sidra.ibge.gov.br>, 18 do fevereiro do 2017.

Kelejian, Harry e Ingmar Prucha (1999), “A Generalized Moments Esti- mator for the Autoregressive Parameter in a Spatial Model”, Re- visão econômica internacional, 40 (2), Wiley Online Library, Pensilvânia, Estados Unidos da América, pp. 509-533.

Kelley, Allen e Robert Schmidt (2005), “Evolution of recent economic- demographic modeling: A synthesis”, Journal of Population Eco- nomics, 18 (2), Springer-Verlag, Los Angeles California, Estados Unidos da América, pp. 275-300.

Kuznets, Simon (1986), Crescimento econômico moderno: ritmo, estrutura e difusão, Abril Cultural, São Paulo, Brasil.

Lee, Ronald (2006), “Te demographic transition: Tree centuries of fundamental change”, Journal of Economic Perspectives, 17 (4), American Economic Association, New Haven, Estados Unidos da América, pp. 167-190.

Lefèbvre, Mathieu (2006), Population ageing and consumption demand in Belgium, Crepp, Liège, Bélgica.

Lesage, James e Robert Kelley Pace (2009), Modelos econométricos espaci- ais. Manual de análise espacial aplicada, Springer, Berlin, Alemania.

Lewis, Arthur (1969), “O desenvolvimento econômico com oferta ilimit- ada de mão-de-obra”, A Economia do Subdesenvolvimento, 1 (1), Ed. Forense, Rio de Janeiro, Brasil, pp. 406-456.

Lucas, Robert Júnior (1988), “On the mechanics of economic develop- ment”, Journal of Monetary Economics, 22 (1), Elsevier, Amster- dam, Holanda, pp. 3-42.

Malthus, Tomas Robert (1983), Ensaio sobre a população vol. 328, Abril Cultural, São Paulo, Brasil.

Marshall, Alfred (1996), Princípios de Economia, vol. 1, Editora Nova Cultural, São Paulo, Brasil.

Miles, David (1999), “Modelling the Impact of Demographic Change upon the Economy”, Te Economic Journal, 109 (452), Blackwell Publishers, Malden, Estados Unidos da América, pp. 1 - 36.

ONU (Organização das Nações Unidas) (2017), “Base de dados”, ONU, Santa Maria, Brasil, < https://nacoesunidas.org/>, 14 do novem- bro do 2017.

Paschoal, Isabela Palma (2008), “Mobilidade intergeracional de educação no Brasil”, dissertação mestrado, Faculdade de Economia, Admi- nistração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, Brasil.

Pereima, João Basilio e Alexandre Porsse (2013), “Transição demográfca, acumulação de capital e progresso tecnológico: desafos para o crescimento brasileiro”, Revista Economia and Tecnologia, 9 (1), Universidade Federal do Paraná, Curitiba, Brasil, pp. 49-60.

Persson, Joakin (2002), Demographics, human capital, and economic growth: a study of US States 1930-2000, FIEF, Estocolmo, Suécia.

Prskawetz, Alexia e Tomas Lindh (2007), “Te relationship between demographic change and economic growth in the EU”, report núm. 32, Vienna Institute of Demography, Research, Viena, Austria.

Porsse, Alexandre, Marianne Stampe, Marcelo Portugal e Eduardo Almeida (2012), Demographic Change and Regional Economic Growth in Brazil, Regional and Urban Economics Lab, University of São Paulo, São Paulo, Brasil.

Rebelo, Sergio (1991), “Long run policy analysis and long run growth”, Journal of Political Economy, 99 (3), Te University of Chicago Press, Chicago, Estados Unidos da América, pp. 500-521.

Romer, Paul (1990), “Endogenous Technological Change”, Journal of Political Economy, 98 (5), Te University of Chicago Press Jour- nals, Chicago, Estados Unidos da América, pp. 71-102.

Silva, José Adailton Barroso, Raphael Luiz Fontana Macêdo, Silvania Costa Santana e Auro Jesus Rodrigues (2015), “Teorias demo- gráfcas e o crescimento populacional no mundo”, Caderno de Graduação-Ciências Humanas e Sociais-UNIT, 2 (3), Grupo Ti- radentes, Aracaju, Brasil, pp. 113-124.

Solow, Robert (1956), “Contribution to the theory of economic growth”, Quarterly Journal of Economics, vol. 70, Oxford Academic, Ox- fordshire, Inglaterra, pp. 65-94.

Stampe, Marianne (2013), “Três ensaios sobre mudança demográfca e seus impactos nas economias brasileira e gaúcha”, tese de douto- rado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil. UNFPA (United Nations Population Fund) (2016), “How our future depends on girls at this decisive age”,

UNFPA, Nova York, Esta- dos Unidos da América, <https://www.unfpa.org/sites/default/ fles/pubpdf/ Te_State_of_World_Population_2016_-_English. pdf>, 23 do agosto do 2017.

Vasconcelos, Daniel Santana, José Eustáquio Alves Diniz e Getúlio Silveira flho Borges (2008), “Crescimento Econômico, estrutura etária e dividendo demográfco: avaliando a interação com dados em painel”, XVI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da ABEP, 29 de setembro a 3 de outubro, Minas Gerais, Brasil.

Weber, Lars (2010), Demograpfhic change and economic growth: simulations and growth models, London, Nova York: Springer Heidelberg Dordrecht, Inglaterra.

Wong, Laura Rodrigues e José Alberto Carvalho (2006), “O rápido processo de envelhecimento populacional do Brasil: sérios desafos para as políticas públicas”, Revista Brasileira de Estudos Populacionais, 23 (1), Associação Brasileira de Estudos Populacionais, Minas Gerais, Brasil, pp. 5-26.

Licencia Creative Commons
Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-SinDerivar 4.0 Internacional.